Skip to content

Basiliscos

Basilisco
Basilisco. Imagem de RJ Palmer

O basilisco era conhecido desde a antiguidade como “o pequeno rei” ou “o rei das serpentes”, pois, se pensava que era o pior e mais terrível dos répteis. Plínio o Velho o descreveu como um dragão com cabeça de galo com uma crista de ouro simulando uma coroa. Em outras ocasiões foi descrito como uma serpente sem asas, mas o certo é que, com asas ou sem elas, os basiliscos são horríveis répteis muito temidos por possuírem o poder da petrificação.

Basilisco comun

Este basilisco é possivelmente o mais conhecido. Se trata de um ser híbrido de um galo, um réptil e um morcego.

As condições para que se dê o nascimento de um basilisco são bastante complicadas: o basilisco nasce de um ovo rejeitado pela galinha que não é oval, senão redondo. Este ovo deve ser incubado por um réptil.

O basilisco tem o corpo e a cara de um galo, o pescoço e a cauda de um réptil e horríveis asas de morcego. Os machos também possuem crista e barba. A cauda é escamosa e possui algumas penas e seus olhos são de um brilho intenso e aterrador.

Basilisco comum. Autor desconhecido

Estes seres têm um poder especial: petrificam tudo o que tocam. São, por isso, inimigos perigosos. Se o seu rival não possuir a proteção adequada lutarão corpo a corpo para tentar petrificá-lo com o seu bico. Só as armaduras de metal são capazes de resistir a seu poder. Os basiliscos são imunes ao poder de petrificação de outros basiliscos.

Basilisco sauro

Estes basiliscos são répteis grandes, de aproximadamente 2 metros. Possuem 8 patas, escamas pardo-verdosas e olhos verdes brilhantes. Não são muito inteligentes e seus movimentos são lentos e pesados.

Basilisco-sauro. Imagem de Mark Tarrisse

Dentro desta variedade encontram-se também os “Basilisco Sauro Gigantes”, que têm as mesmas características dos outros, porém, são maiores e mais inteligentes. São usados frequentemente para guardar tesouros, pois possuem, além do olhar petrificante, um fétido hálito venenoso. Suas garras também são venenosas, mas, não tanto quanto o hálito.

Pirolisco

Existe outro tipo de basilisco chamado de pirolisco, e é aparentemente igual ao basilisco comum, porém, tem apenas uma pena vermelha na cauda. Suas asas também são avermelhadas. Esta variedade é bem mais perigosa que o basilisco comum, já que o seu olhar é capaz de incinerar qualquer ser vivo que o olhe diretamente. São imunes ao fogo e à magia de fogo. Seu inimigo natural é a fênix, a ave mágica que arde em chamas para renascer de suas cinzas.

Se você gostou, não esqueça de avaliar o artigo

Avaliação: 5/5 (3 votos)
Por favor, ajude-nos a compartilhar esta página em suas redes sociais para que possamos alcançar mais pessoas que precisam de nossa ajuda nesses temas. Você só precisa clicar em um dos botões abaixo. Obrigado!

Participa, deixe seu comentário